Criatividade como práticas geradas por complexas redes em construção

Versão para impressãoVersão para impressão
Palestrante: 
Profa. Dra. Cecília Almeida Salles
Data: 
sexta-feira, Maio 7, 2021 - 10:00

O propósito deste artigo é fazer algumas reflexões sobre criatividade, assumindo-se que devemos partir de uma conceituação de criação. Será apresentado o conceito de criação que sustenta os debates sobre criatividade como conjunto de práticas criativas. A discussão se dá no contexto de pesquisas sobre processos de criação, iniciadas nos de 1990 no Grupo de Pesquisa em Processos de Criação (PUC-SP), que discutem os registros dos agentes criativos. Será feito o relato do percurso de construção do conceito de criação como rede em construção. Primeiramente, será apresentada a leitura semiótica da criação como processo sígnico, no contexto do pensamento do filósofo Charles S. Peirce. Em seguida, será discutido o adensamento desta conceituação em diálogo com o conceito de rede de Pierre Musso (2004) e o pensamento da complexidade de Edgar Morin (1998). Ao final. será apresentado o conceito de criação que sustenta a crítica dos processos de criação. Tal conceituação parece ser relevante para a discussão da criatividade e de quaisquer produções, que seriam ações geradas pelas complexas redes aqui abordadas.